A princesa Ardínia viveu no século X, no castelo de Lamego, quando esta terra se encontrava sob domínio árabe. Era o período da reconquista da Península Ibérica aos árabes.

A beleza da princesa era falada por todos os lados. Um dia o cavaleiro cristão, dom Tedom, veio disfarçado a Lamego, tendo-se logo apaixonado. Depois de alguns encontros no laranjal do castelo, ao luar, resolveram casar-se.

Mas o rei mouro, pai da princesa, não consentia no casamento da sua filha muçulmana com um cristão.
Numa noite de vendaval a princesa fugiu com o seu amado para longe, escondendo-se no Convento de S. Pedro das Águias, onde casaram.

Mas a felicidade de Ardínia durou pouco. O pai, que saíra em sua perseguição, encontrou-a junto do rio Távora e, ao saber que se tinha casado e convertido à cristandade, matou-a com a sua espada deitando o corpo à água.O Dom Tedom quando soube da morte da sua amada, fez votos de nunca mais se casar e atirou-se ao combate dos muçulmanos, tendo sido morto, bem perto junto a um pequeno rio, que ficou com o seu nome, rio Tedo.

Diz o povo, que as águas dos rios Távora e Tedo, por vezes, aparecem vermelhas, porque o sangue dos amados Ardínia e Tedom ainda as tinge.
Também diz o povo que quando o castelo é envolvido pelo nevoeiro no Inverno, a alma da princesa esvoaça sobre ele.

 


Para reservas e mais informações, contacte Outros Tempos – Turismo de Aldeia.
 

Top Rural      Tripadvisor      Booking

Fale Connosco!

Tel: (+351) 254 855 103
Tlm: (+351) 919 963 051
Email: reservas@outrostempos.com
GPS: N 41.098283, W 7.655325

Largo do Marradoiro, nº12    5110-051 Aricera
Armamar - DOURO - PORTUGAL